sábado, 27 de junho de 2015

Assassinatos na Academia Brasileira de Letras, Jô Soares

Esta foi a minha primeira incursão na escrita de Jô Soares, cujo cunho humorístico se mantém, complementado por manifesta erudição, que nem sempre, por preconceito, atribuímos aos humoristas. O resultado é uma novela de fácil leitura e com diversas referências passiveis de explorar a quem assim o deseje. No entanto, ao faze-lo temos a impressão de JS simplesmente se apropriou de informação disponível na internet (p. e. o site da ABL ou a definição de jornalismo amarelo disponível na wikipedia), não a aprofundando, ou se quer trabalhando para lhe dar outra perspectiva e/ou profundidade.
A novela relata-nos a investigação levada a cabo pelo comissário Machado Machado (MM) em busca do perpetrador dos crimes que o título indica. Explorando a teoria das coincidências, o assassino começa a sua demanda exactamente pelo autor de um livro homónimo, em cujo enredo todos os 40 membros da ABL eram assassinados. MM percebe a intenção final do assassino e com a ajuda do médico legista Pena-Monteiro tenta impedi-lo, acabando por conseguir.

Editora: Editorial Presença | Edição: 1ª | Local: Barcarena | Impressão: Multitipo | Ano: 2006 | Págs.: 190 | Capa: Catarina S. Gaeiras | Ilustrações: Sim | DL: 24410/06 | Localização: BLX-PF 82P(81)-312.4 (80306803)

Sem comentários:

Enviar um comentário