sexta-feira, 3 de julho de 2015

As paredes. As portas. As mesas. As estantes. As gavetas. As cortinas.
Brancas.
As páginas. As telas. As esperanças.
Brancas.
Aceitando o futuro que nelas irei escrever.
 Um futuro novo.
(Varrido de passados?)
Asas novas a abrirem-se para o voo inaugural.
Branco, de branco, em branco.


Sem comentários:

Enviar um comentário