domingo, 20 de setembro de 2015

O Fio da Navalha, Somerset Maugham

Entrei nesta leitura sem qualquer expectativa. Ou melhor, com a expectativa de que não iria apreciar o livro. O resultado foi o contrário. Não sendo um dos meus livros de eleição em termos de enredo e personagens, apreciei bastante as reflexões do autor/narrador sobre a escrita, a construção do romance e sobre a materialização das personagens. Sobre o enredo, o narrador/autor apresenta-nos um rol de personagens que acompanha durante anos e as suas diferentes visões e modos de estar no mundo, sem, no entanto, fazer juízos de valor sobre as suas escolhas. No final, conclui que, cada um há sua maneira, conseguiu o que queria e portanto foi feliz, o que faz deste romance uma obra com final feliz. Esta leitura relembra-me um pouco o Siddhartha, de Herman Hesse e questiono-me se o percurso da personagem Larry não será o percurso possível de Siddharta, caso este tivesse nascido séculos depois na América.
Tradução: Ana Maria Chaves | Editora: Asa II, SA| Colecção: Vintage Romance | Edição: 3ª| Ano: 2010, Agosto | Local: Alfragide | Impressão: Multitipo, A.G.| Págs.: 332 | Capa: Panóplia | ISBN: 978-989-23-0942-2 | DL: 311318/10 |Localização: BLX PF 82-31/MAU (80287248)

Sem comentários:

Enviar um comentário