quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Adoração, Cristina Drios

Há primeira vista, estamos perante um mistério policial. Assim nos parece indicar a capa e a sua tagline uma rapariga, um policia, a máfia e Caravaggio. E, na verdade, o livro possui os elementos habituais de uma obra do género: há uma morte, um policia que investiga, um vilão e a jovem mulher, por sinal, atraente. Mas, depois das primeiras páginas, percebemos que não estamos perante este tipo clássico de história. Estamos, na verdade, perante 4 histórias de indivíduos em busca da redenção que se dividem em dois planos temporais, Itália da década de 80 e Itália do início do século 17. E em cada história encontramos o individuo na sua batalha pela beleza através da criação artística; como nele convivem o bem e o mal e como o mal não é necessariamente intrínseco, mas consequência inerente das suas escolhas; como o vazio é também um elemento (incontornável) da vida; e que para alguns homens o reequilíbrio só se estabelece através da morte.
Para quem admira a obra de Caravaggio, este é, sem dúvida, um livro incontornável.

Editora: Teorema | Local: Alfragide | Edição/Ano: 1ª, Setembro 2016 | Impressão: Eigal | Págs.: 214 | Capa: Rui Garrido | ISBN: 978-972-47-110-8 | DL: 412846/16 | Localização: pax

Sem comentários:

Enviar um comentário