quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Diário dos dias ausentes

Desfio a memória e os dias ausentam-se. Batem em retirada a cada passo dado em sua direcção. Transformam-se em ténues paredes translucidas que se desfazem em névoa quando o gesto as tenta alcançar. Falha a acção, e o sentido apreende gotículas que prenunciam a ilha encantada, que nunca chega a apresentar-se ao gesto e ao olhar. Perde-se assim o registo dos dias ausentes. 


Sem comentários:

Enviar um comentário