quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Nem todas as baleias voam, Afonso Cruz

Depois da leitura de O Pintor debaixo do Lava-loiças retorno à escrita de Afonso Cruz com outro livro azul. Azul no tom da capa e azul no tom soturno e na temática blues que compõem o seu conteúdo. E mais uma galeria de personagens desenquadradas das normas deste mundo, por vezes incompreensível, em que vivemos.
Erik ama Natasha incomensuravelmente. Erik e Natasha têm um filho. Tristan. Natasha desaparece sem explicação. Erik perde a sua razão de viver. Tristan vê-se órfão de mãe ausente e pai presente. Encontra amizade numa velha. E numa prostituta. E há ainda Isaac. E Tsilia (ó, que livro entusiasmante daria Tsilia). E O Escritor. E a cultura como arma de aproximação e mudança de mentalidades. E a tortura que é descer ao amâgo da criação e fazer submergir a literatura. E a esperança de um final que o autor assim quer.
E eu fico ainda sem saber o que sinto perante esta escrita.

Editora: Companhia das Letras | Local: Lisboa | Edição/Ano: 1ª, Nov. 2016 | Impressão: Printer Portuguesa | Págs.: 280 | Capa: Mª João Lima | Ilustrações: Autor | ISBN: 978-989-665-127-5 | DL: 416911/16 | Localização: Pax

Sem comentários:

Enviar um comentário