sexta-feira, 31 de março de 2017

A Experiência, Ferreira de Castro

“… mas o que é a Natureza, …, senão uma perpetua injustiça?” (p. 212)
Clarinda e Januário são órfãos acolhidos num asilo, no qual é ministrada uma educação “experimental”, que, embora nunca explicada, pretende dotar os seus pupilos de valores e competências que lhes permitirão ultrapassar as suas circunstâncias de nascimento. Só que a vontade única do benemérito deste asilo não consegue ultrapassar os preconceitos e a ordem instaurada e aceite por todos os intervenientes sociais. E assim, estas crianças, vêem-se votadas ao mesmo futuro desesperançado de qualquer outro órfão ou de filho de uma família de parcos rendimentos. Como é o caso dos companheiros de cela de Januário e das companheiras de prostituição de Clarinda. É uma história humana em que nos é dado perceber o que leva alguém a percorrer um caminho moral e socialmente condenável, mas que mais não é do que uma fuga à fome e à miséria, que os demais não querem ver e, se vendo, não agem de modo a suprimi-la.
Como sempre, Ferreira de Castro mostra-nos os homens e as mulheres que tentam escapar ao seu destino, mas que, na maioria das vezes, são apanhados por ele.

Editora: Cavalo de Ferro | Local: Lisboa | Edição/Ano: 14ª, 2014 | Impressão: Tipografia Lousanense | Págs.: 223 | ISBN: 978-989-623-182-8 | DL: 371369/14 | Localização: BLX Mar 82P-31/CAS (80329384)

Sem comentários:

Enviar um comentário