sexta-feira, 19 de maio de 2017

Ao chegar aos 45 
convivem em mim
Os sonhos e ilusões dos 15
As infinitas possibilidades dos 25
A tristeza e dor da partida e da perda dos 35

Mas aos 45 a serenidade advém
De saber
Que a alegria e a felicidade caminham lado a lado com o mérito, o aleatório e a finitude
Há sempre espaço para velhos sonhos
Há sempre tempo para novos sonhos

Ao chegar aos 45 sei
Que necessidade e vontade são tão simples tão simples
Sentimo-nos sentidos
Amados aceites

Simplesmente como aos 5

Sem comentários:

Enviar um comentário