quarta-feira, 21 de junho de 2017

Churchill (2017)

Um dos mais conhecidos estadistas a nível mundial, Winston Churchill fica igualmente na história da literatura ao ganhar, em 1953, o Prémio nobel correspondente, por "for his mastery of historical and biographical description as well as for brilliant oratory in defending exalted human values".[1]
O filme aborda as 96 horas prévias ao desembarque das forçar aliadas na Normândia e é um filme atípico. Dá-nos a imagem de um líder em crise, que não sabe qual o seu papel numa guerra em que não acredita na validade das estratégias adoptadas, nomeadamente este ataque. Um líder arredado da estratégia em que não acredita, mas chamado a galvanizar o povo para o continuo esforço de guerra. Um líder que se quer um farol de animo, coragem e persistência num tempo de calamidade, trágico com o fim e o estropiar de uma geração. Um líder enquanto combate com os seus demónios e uma depressão.
Este é um filme de palavras. Da acção pela palavra. De como a palavra certa pode ser a arma mais eficaz para galvanizar um povo. Da procura dessa palavra, no respeito pelo seu significado e pelo seu potencial transformador. Da palavra como resistência. Da palavra como procura para o significado da vida e da morte.

[1] Pela mestria na descrição histórica e biográfica, bem como pela oratória brilhante e exaltada na defesa dos valores humanos. (Tradução da minha autoria) 

Sem comentários:

Enviar um comentário