sexta-feira, 22 de setembro de 2017

AGORA TAMBÉM SOU ÁGUA

Foto de Ana Lázaro.

Em palco, um jovem homem vai gradualmente revelando-nos a sua vida de sonhador. Sonhador que quer voar no céu através da dança. Sonhador que, oriundo de um bairro social, tem de romper com a pressão dos gangues, o cansaço do trabalho braçal para sustentar a família, a incompreensão da família. Sonhador que vence as expectativas e cumpre o sonho. Sonhador que se transforma em água, o estado líquido que o seu corpo assume quando a dança toma conta de si.
Na sequência de um convite inesperado, este espetáculo, passe a redundância, foi uma surpresa surpreendente. Pela maturidade, sensibilidade e poesia do texto de Ana Lázaro (cujo trabalho vou a partir deste momento seguir) e pela magnifica interpretação (de corpo e alma) de Rafael Proyas Barreto. Sinto-me previligiada por ter assistido a este pequeno segredo e questiono-me quantos espectáculos desta qualidade passam despercebidos, à margem de outras mediatizações.
Parabéns igualmente à produção do #muscarium por ter partilhado este trabalho.  


Texto & Encenação: Ana Lázaro | Interpretação: Rafael Proyas Barreto / Inocêncio Gonçalves (filme)  | Luz: H.c. FrancoCriação: 'dobrar

Sem comentários:

Enviar um comentário