segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Exercícios de corrente de consciência

O que é a corrente de consciência (stream of consciousness)?
Expressão nascida na área da psicologia com William James, em Principles of Psychology (1890) e que, utilizada num contexto literário, se refere a um método narrativo relacionado com momentos significativos de instrospecção, que se podem combinar, em muitos casos, com monólogos interiores. Literalmente, traduz-se por fluxo da consciência, mas a sua aplicação literária deve obrigar a outros significados, por isso se recomendando a referência à expressão original da psicologia. Supõe-se que num mesmo momento vários níveis de consciência se misturam numa corrente de sensações, pensamentos, memórias e associações. Para descrever este momento, esta corrente de consciência, é necessário fazer-lhe corresponder uma corrente de palavras e imagens tão próximas quanto possível da variedade de elementos que atravessam a mente humana. Desta forma, pretende-se que o leitor assista, em primeira-mão e sem interferência do narrador, ao fluir das sensações e pensamentos das personagens. (...) (in E-Dicionário de Termos Literários de Carlos Ceia: http://edtl.fcsh.unl.pt/business-directory/6376/stream-of-consciousness/

Desafio:
O participante, sem qualquer tema dado, começa a escrever o que a sua consciência dita. De x em x tempo, o dinamizador dita uma palavra que tem de ser incluída no texto que está a ser escrito. Se é inclusão é feita de forma “lógica” ou não, fica ao critério do participante. Podem-se utilizar quaisquer palavras que queiramos, podendo sempre ser alteradas e selecionadas para reflectir temas específicos ou emoções. O exercício não deve exceder os 2 minutos, para participantes já com alguma pratica, e ter um mínimo de 1m15, com as palavras a serem introduzidas a cerca de cada 15/20 segundos.

Exemplos:
  1. Nem chove, nem faz sol. Que nóia, nem sei o que vestir esta noite. Casaco curto, comprido. Será que vai estar muito frio ou ameno. Se ao menos fossemos à biblioteca. Mas é surpresa. Ui já que esquecia, tenho o frigorífico vazio.
  2. Vamos lá a isto, o que será que vem aí? Uma estrela, um sol, uma lua incandescente. Não sei, caramba, que raiva que isto me dá. Vou lá fora ver se está noite ou já é dia. Estou com fome já comia um frango assado e umas batatas também já marchavam.

Observação / conclusão:
Enquanto participante, os textos que produzo podem já não ser vistos pelo dinamizador como exemplos de corrente de consciência. Primeiro, porque já sei ao que vou e já não entro desprevenida no exercício. Depois, porque, no início do meu percurso profissional, tive uma experiência redactorial em que tinha frequentemente de produzir textos lógicos e coerentes num curto espaço de tempo, prontos a publicar. Não seriam textos extraordinários, mas seriam textos lógica e gramaticalmente correctos.

Como dinamizadora, este é sempre um exercício interessante e a que os participantes, embora atrapalhados e com dúvidas, aderem bem. Gosto de o deixar para o final das sessões, optando por que o resultado não seja lido em voz alta. É um texto para o participante reflectir sozinho. 

Stefan Draschan

Sem comentários:

Enviar um comentário