terça-feira, 29 de setembro de 2015

Diário de um killer Sentimental, Luis Sepulveda


(seguido de Jacaré e Hot Line)

Este volume reúne três contos que têm como linhas de união a morte, a justiça, o abuso de poder, e algum amor. A narrativa tem o registo habitual do popular autor chileno, o que torna esta uma leitura ligeira, sem deixar de denunciar uma cultura de corrupção combatida por anti-heróis. A ler.
Tradução: Pedro Tamen | Editora: Edições Asa (Asa II) | Colecção: Pequenos Prazeres | Edição: 5ª| Ano: 2000, Março | impressão: Ed. Asa SA| Págs.: 152 | ISBN: 972-41-2050-3| DL: 147846/00 | Localização: BLX DR5041207 (00390433)

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

A Vaca, Camilo Cruz


Neste pequeno volume, Camilo Cruz utiliza a metáfora da vaca para simbolizar todas as desculpas, atitudes e pensamentos que utilizamos para não lutar (e consequentemente conquistar) os nossos objectivos. De uma maneira simples e divertida, permite uma primeira reflexão sobre como nos impedimos de atingir determinadas metas nas nossas vidas. No entanto, e consequência de outras leituras, também achei esta abordagem insuficiente para uma reflexão pessoal mais profunda e, nesse sentido, recomendaria a leitura de Chega de Desculpas, de Wayne Dyer.

Tradução: Miguel Mascarenhas | Editora: Gestãoplus Edições | Ano: 2010, Janeiro | Impressão: Tipografia Peres| Págs.: 131 | Capa: Marta Teixeira | ISBN: 978-989-811-505-8 | DL: 304726/10 | Localização: BLX PF 159,947/CRU (80272390)

domingo, 20 de setembro de 2015

O Fio da Navalha, Somerset Maugham

Entrei nesta leitura sem qualquer expectativa. Ou melhor, com a expectativa de que não iria apreciar o livro. O resultado foi o contrário. Não sendo um dos meus livros de eleição em termos de enredo e personagens, apreciei bastante as reflexões do autor/narrador sobre a escrita, a construção do romance e sobre a materialização das personagens. Sobre o enredo, o narrador/autor apresenta-nos um rol de personagens que acompanha durante anos e as suas diferentes visões e modos de estar no mundo, sem, no entanto, fazer juízos de valor sobre as suas escolhas. No final, conclui que, cada um há sua maneira, conseguiu o que queria e portanto foi feliz, o que faz deste romance uma obra com final feliz. Esta leitura relembra-me um pouco o Siddhartha, de Herman Hesse e questiono-me se o percurso da personagem Larry não será o percurso possível de Siddharta, caso este tivesse nascido séculos depois na América.
Tradução: Ana Maria Chaves | Editora: Asa II, SA| Colecção: Vintage Romance | Edição: 3ª| Ano: 2010, Agosto | Local: Alfragide | Impressão: Multitipo, A.G.| Págs.: 332 | Capa: Panóplia | ISBN: 978-989-23-0942-2 | DL: 311318/10 |Localização: BLX PF 82-31/MAU (80287248)

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Leitura nos Transportes Públicos #1

Dia
Hora (Aprox.)
Género
Título, Autor
Obs.
24-Ago
09:00
M
As 12 Cadeiras

26-Ago
M
A study in Scarlett/The sign of the For, Conan Doyle

27-Ago
09:00
F
Os crimes do Monograma

09:30
F
Perguntem a Sara Gross

28-Ago
08:50
M
Why Countries Fail

22:30
F
ken Follet

31-Ago
08:50
F
capa
19:30
F
Tornado, Sandra Brown


A minha mudança de trabalho levou-me a despender mais tempo nos transportes públicos, que aproveito para preencher com as minhas leituras. Não sendo a única, e porque tenho curiosidade em perceber as preferências dos outros leitores, vou registando, sempre que me é possível perceber, os livros que estão a ser lidos, quem os lê (homens/mulheres), e os horários aproximados. Espero assim identificar algumas tendências e, quem sabe, tirar algumas conclusões, que partilharei aqui quinzenalmente.
Nesta primeira amostragem, percebo que as mulheres são aparentemente mais leitoras e que o período da manhã é mais propenso à leitura. Quanto aos géneros, a prevalência vai para o policial e para o thriller.